Seja Bem Vindo!

A Vecci Tecidos, empresa fundada em 1993, atua no mercado como distribuidor de tecidos destinados à confecção de artigos da linha profissional,
executiva, hospitalar e esportiva. Transparência, confiança e agilidade são os valores que definem o nosso modo de atuação, visando
sempre ao bom atendimento e à credibilidade junto aos clientes, colaboradores e fornecedores.

Com uma grande variedade de tecidos nacionais e importados, buscamos oferecer opções a preços diferenciados que atendam às necessidades do
mercado em que atuamos, atendendo a todo o território nacional.

Nosso horário de funcionamento é de Segunda à Sexta, das 8h00 às 12h00, e das 13h30 às 18h00.

DICAS


Ao usar qualquer solução para tirar manchas de roupas ou de tecidos, convém fazer antes um teste numa pontinha mais escondida da roupa, para ver o resultado.
Se o tecido desbotar, depois de usado o produto, ou tirada a mancha, é só lavar o ponto atingido com uma mistura de duas partes de água para uma de vinagre.
- Ao limpar a mancha de um tecido, procure estender a parte manchada sobre um mata-borrão ou um outro tecido para que o líquido empregado na limpeza não se espalhe muito.
- Se ficou um círculo em volta da mancha já tratada, convém estender esta parte esticada sobre o vapor de água fervendo; isto é ótimo.
- Após o uso de amoníaco ou de outro ácido para eliminar uma mancha é necessário lavar bem a mancha, logo em seguida à operação.
- Para limpar e desengordurar as golas das roupas, usa-se uma solução de amoníaco, na proporção de 1 colher (sopa) para 1 copo de água.
- E lembre-se, quanto mais cedo se tratar uma mancha mais facilmente ela sairá.
- Todos os tecidos aqui não especificados são de cor branca ou de cores firmes.
Antes de usar qualquer produto de tira-manchas, use primeiramente sobre o local um pouco de sal umedecido; isso facilitará sua remoção.

Nunca armazenar o tecido em forma de "fogueira" ou no sentido vertical. Os rolos devem ser empilhados em paralelo e devem estar apoiados completamente na lateral. (Empilhamento máximo de 5 rolos).

- Armazenar em local seco, sem incidência direta de luz solar. - Proteger o ambiente contra roedores e pragas.

Para que as roupas brancas fiquem bem clarinhas, é só colocar uma tampa de álcool de cozinha na água com sabão em pó e deixar de molho.
Não adianta deixar a roupa de molho de um dia para o outro, porque o sabão em pó perde o efeito dele depois de três horas.
Outra dica é juntar um punhado de sementes de mamão, triturar no liquidificador, coar em pano de saco. Colocar o sumo coado em uma bacia com água, diluir e mergulhar a roupa manchada. Deixar de molho por três horas e depois lavar com sabão.

O primeiro passo é entender o que as etiquetas de cada roupa quer dizer. Como uma bula de remédio ela diz a indicação de lavagem e secagem, o tipo de tecido e manutenção ideal para a peça.
Antes de lavar separe as roupas por cada tipo de tecido. Passe primeiramente as de nylon, pois é um tecido muito sensível exige cuidado. Ele pode ser desamassado com facilidade, por isso, mesmo com o ferro na temperatura mais baixa é possível alisá-lo.
As de lycra também apresentam muita sensibilidade, passe com movimentos bem rápidos e temperatura amena, de forma que o tecido não fique em contato constante com o ferro de passar.
A seda possui um brilho natural que pode ser eliminado com um ferro quente ou se não for passado no avesso. Evite o vapor nesse tipo de roupa.
O poliéster deve sempre ficar para o final, pois ele exige uma temperatura mais alta e muita dedicação já que é um tecido rígido e que resiste ao calor. A melhor dica para esse tecido é abusar do ferro a vapor que irá torná-lo mais maleável e fácil de passar.
Os sintéticos são mais fáceis de passar eles assimilam o calor com maior rapidez. É preciso ser rápido na hora de passar esse tipo de tecido e evitar o excesso de calor para não criar um brilho indesejado. O ideal é usar a temperatura para lã.
Para roupas de algodão use ferro a vapor, pois a umidade facilita o processo. Resistente ao calor pode demorar a alisar se for feito a seco.
Como a seda, o veludo pede que seja passado sempre pelo avesso. Caso os pelos estejam amassados apenas aproxime o ferro sem tocar no tecido, assim eles voltarão ao normal

Como lavar?
Lembre, sempre: “para qualquer item, o ideal mesmo é olhar as instruções na etiqueta da peça, que orientam a forma adequada de lavar”.
Se você puder lavar os itens em casa, deixe o edredom ou o cobertor de molho antes de colocá-los na máquina. Use sabão líquido ou dissolva o sabão em pó para que a peça não fique com resíduos do produto de limpeza.
A secagem varia de acordo com o tecido e volume do acolchoado ou das fibras dos cobertores. Lave em dias quentes e seque preferencialmente ao sol. Em apartamentos, onde normalmente a incidência de luz e calor solares não é intensa e constante, o edredom ou cobertor podem levar de dois a três dias para ficar enxuto. Antes de retirar do varal, certifique-se de que a peça esteja completamente seca, porque microrganismos podem se propagar devido à umidade.
Uso e armazenagem
Se a peça ficou guardada no armário por meses sem nenhuma proteção, o recomendável é lavá-la antes de usar, porque pode haver acúmulo de poeira. Caso o edredom ou cobertor tenha sido guardado em um saco sem nenhuma ventilação, o ideal é higienizá-lo também.
Para resguardar os tecidos do pó, embale-os em pacotes e invólucros apropriados. O ideal são os sacos de TNT, que permitem a ventilação, ou os plásticos especiais, que possibilitam retirar o ar da embalagem.
Este sistema a vácuo evita o acúmulo de pó nas peças e elimina a possibilidade de propagação de microrganismos. Usando esse tipo de invólucro não é necessário lavar novamente as peças quando for usar a roupa de cama.

NOVIDADES


A nova postura de respeito ao meio ambiente sugere a substituição das sacolas de plástico descartável por modelos de pano e materiais mais duráveis.
Uma nova linha de sacolas e bolsas promete entrar na moda. Confeccionadas com tecidos 100% algodão, as bolsas e sacolas são versáteis e podem ser usadas em qualquer local por mulheres e, algumas delas, até por homens. A maioria das sacolas e bolsas pode ser usada por um público bem diversificado e em qualquer lugar.
Ela fica bem numa dona de casa, ou numa empresária, ou numa estudante. Serve para ir num supermercado, num restaurante ou, até mesmo, numa badalada. Além de muito charme, as sacolas e bolsas levam a vantagem de não agredirem a natureza após a sua vida útil.
Nenhuma delas utiliza plástico, zipers e outros tipos de materiais nocivos à natureza.

A Abravest lança o projeto de padronização das medidas. No Brasil cada indústria tinha sua própria tabela e partir de agora elas terão que adotar a tabela de medidas que a ABNT determinar.
Existe a norma NBR 13.377 de 1996 que serve como modelo, entretanto quase nenhuma indústria a utiliza.
O projeto da Abravest consiste em usar essa norma e atualizá-la, para isso o SENAI Cetiqt, com o apoio da ABIT, começou a fazer o levantamento das atuais medidas brasileiras através de um único bodyscanner adquirido pelo Cetiqt, o que pode demandar muito mais tempo do que se espera para as análises.
Muitos países usam uma tabela padrão, como por exemplo, os EUA. Num primeiro momento ele poderá parecer confuso para alguns consumidores, mas uma vez que for entendido poupará muito tempo na hora da escolha de roupas.

Nanotecnologia e reaproveitamento de resíduos são alternativas mais ecológicas.

O Projeto Nanocor nasceu de uma pesquisa que deu errado. Ao tentar encapsular em nano partículas aromas, o pesquisador Jaime Gomes, professor catedrático do Departamento de Engenharia Têxtil da Universidade do Minho, Portugal, descobriu nanopartículas coloridas que permitem cortar custos no processo de tingimento dos materiais têxteis.

Já em São Paulo, a pesquisadora Ticiane Rossi desenvolveu corantes têxteis a partir do resíduo da produção de óleo essencial de folhas e galhos de eucalipto, que requer menos água e impacta menos o ambiente em comparação com os corantes sintéticos. A inovação se mostrou uma alternativa viável e mais segura ambientalmente do que as substâncias sintéticas normalmente usadas no tingimento de tecidos.

O pesquisador português também garante que a nanotecnologia permite economia de 70% a 90% da água utilizada no processo têxtil e lavagens posteriores, e também poupam mais de 70% em energia e tempo.


Fonte Sebrae

Pesquisadores testam o tecido que elimina bactérias.
Cientistas desenvolvem produto capaz de eliminar bactérias e pesticidas presentes em tecidos. Uma pesquisa da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, promete livrar os tecidos de restos de pesticidas e bactérias nocivas à saúde quando expostas à luz. Dois alunos de doutorado da Divisão de Têxteis e Vestuário desenvolveram um tecido autolimpante, ao incorporar um tipo de ácido às fibras do tecido. O produto ainda está em fase de teste, sem previsão de data para comercialização.

Apesar de incolor, o ácido tem estrutura parecida ao de corantes usados na indústria têxtil. Com essas características, o produto se mescla facilmente a diferentes tipos de fibras naturais e sintéticas. Durante a experiência, os pesquisadores misturaram dois tipos de bactérias e um pesticida ao tecido. Ao ser exposto ao sol, os produtos quimos reagiram e eliminaram quase 100% das bactérias e 90% dos inseticidas.
O produto inovador trará benefícios não só para os consumidores em geral, mas também para profissionais de vários setores. Além dos profissionais da saúde, cuidadosos com os riscos de infecções bacterianas, os cientistas afirmam que o produto também auxiliará os produtores da agroindústria que trabalham diretamente com pesticidas.


Fonte: Universidade da Califórnia

Siga nos nas redes sociais - FaceBook Twitter